terça-feira, 28 de março de 2017

Vernáculo vivo vence. Viva!

Oh! Vernáculo, ainda serves toda gente
Tu és base da ciência e da filosofia
Então consegues sobreviver facilmente
Apesar da internet e sua tirania.

E manténs tua força porque tu és ingente
Mas, a web os navegadores inebria
És velha na forma, e permaneces presente
Render-se à degradação é pura ironia.

Não vais sumir, erigiu nosso pensamento
Admitir que sejas substituído é tormento
Praqueles que te construíram e o mantém.

Gramática da web é meretriz devassa
Que qualquer analfabeto marginal traça
E não vamos viver sem a crase também! 

segunda-feira, 27 de março de 2017

Sonho?

Sonho utópico, sonho de épicas visões
Criado pelos meandros dos pensamentos
O qual recusa ser levado pelos ventos
Pelos tufões, terremotos e turbilhões.

Então sonho de indagamento e de senões
Donde nunca brotam agruras dos lamentos
Nem trafega por esconsos ares nevoentos
Porém são bem distinguíveis suas feições.

Enxergo portando, um retrato de minha alma
Que tem o vezo de revelar-se e tudo acalma
E deste corpóreo invólucro se desprende.

E creio que essas minhas internas vozes
Me sejam umas carrascas mais atrozes
Consciência travestida de óbvio duende.

domingo, 26 de março de 2017

Feliz aniversário POA!


POA, alcunhada como cidade sorriso
O que pouca justiça portanto lhe faz
Realmente, quando nas suas ruas piso
Tenho sensação duma metrópole audaz.

Olho Praça da Alfândega e Rua da Praia
Mundo agitado dessa gente que ali passa
Um retrato vívido da imponente Gaia
Industriosa e bastante agitada massa.

Agita o domingo o Parque da Redenção
Lá, cuias e bombas, e muito artesanato
E portalegrenses, tão sérios como são.

Grande Portalegre, no sentido mais lato
Registro que por ti tenho certa paixão
E que por todos és querida mero fato.

sábado, 25 de março de 2017

Dimas

Em alta voz continuo eu clamando em vão
Talvez hesitante, talvez desesperado
Prevendo aprovação, mas receando o não
Até mesmo apresentando certo ar cansado.

Qual Diógenes, procuro com lampião
Um homem seja senador ou deputado
Bom, probo, e da honestidade um campeão
O qual, jamais dum erário tenha roubado.

Sei, político desse jeito é uma ilusão
Que pode manter todo cérebro ocupado
Porquanto todo bom político é ladrão.

Como Dimas, que de Jesus estava ao lado
Aquele que na cruz, Jesus deu absolvição
Mas que agora se arrepende de ter salvado.

quinta-feira, 23 de março de 2017

Floripa faz anos


Ilha tão gentil, airosa que a mim assiste
Lugar que me deixa tão tranquilo e contente
Hei de canta-la agradecido eternamente
A vida que levo, que não me deixa triste.

De suas praias donde a beleza subsiste,
O que de melhor desta vida se consente,
Dá ao turista muita paz, praia e sol ardente
E num ótimo acolhimento tu consiste.

Se me fora presenteado merecer-te
Tanta animação de vida me conquistou
E nem imagino num momento perder-te,

Regalo-me porque nesta Floripa estou
Realmente desejo pra sempre assim ver-te,
O melhor, fez-me o quase poeta que sou.

Àquele passado

Num distante e difuso pretérito quando,
O que esperar do futuro não se sabia
Da mão para boca era o pobre dia-a-dia
O que não obstava de se viver sonhando,

Porque aquele vital existir era brando,
E tudo que era visto a gente conhecia
Se deitava à noite, no leito amanhecia
Enquanto uma vidinha modesta ia rolando.

O aconchego na família envolto existia
Pois então cada conhecido bom amigo era
Sonho de ser muito feliz solto corria.

Exatamente de acordo como se espera
Superava o desassossego, nossa alegria
Um planeta feliz, numa mais feliz era.

quarta-feira, 22 de março de 2017

22/03 Dia mundial da água

Há um bem que seu valor não se pode medir
Onde escasseia nos mostra a falta que faz
Jaz no solo, ou vive nos rios a fluir
E de transformar a nossa vida é capaz

É a água, esse líquido tão comum e vital
Dado que sem ele não existirá vida
Implica que é tremendamente especial
Assim, sem água não temos qualquer saída.

Dia virá que a poluição deste Planeta
Atinge toda a água que nos dá sustento
Água podre será nossa brutal grilheta.

Graças aos viventes está perto o momento
Uns malucos a tentar água de proveta
Agora, num Planeta em desmoronamento.